Festa junina de Cusco celebra o Sol

É no período do solstício de inverno no Hemisfério Sul que os povos andinos agradecem ao astro-rei pela colheita

  
  

Eterna capital do Império Inca, a cidade de Cusco está em festa. Os cantos tradicionais, danças típicas e procissões religiosas de junho já têm enchido de cores suas ruas coloniais desde o início do mês. Em 2018, o auge da celebração do Inti Raymi, a Festa do Sol, acontece em 24 de junho. É no período do solstício de inverno no Hemisfério Sul que os povos andinos agradecem ao astro-rei pela colheita. Até lá, os viajantes que desembarcam em Cusco para viajar a Machu Picchu com o Mountain Lodges of Peru aproveitam para ter os primeiros contatos com os costumes de um povo orgulhoso de suas raízes.

-Turismo socioambientalmente responsável

Engajada na promoção dos valores originais dos povos peruanos, a operadora local Mountain Lodges of Peru inclui as festividades de junho no rol de opções para seus viajantes como um aperitivo do que vem pela frente. Premiada por praticar um turismo responsável no aspecto socioambiental, a empresa organiza viagens de imersão de 5 ou 7 dias para Machu Picchu por caminhos pouco frequentados. É o caso do roteiro de aventura light pelo Vale de Lares e do trekking e da cavalgada pela região de Salkantay. O destino desejado é o mesmo, a cidade sagrada de Machu Picchu. A diferença está no caminho, em ambos os casos formado por pueblos cheios de charme.

- Ritual de gratidão aos espíritos da natureza

Além de viajar por cenários espetaculares de sítios arqueológicos, cascatas imensas, picos nevados, lagos turquesa e rios caudalosos, a jornada com o Mountain Lodges aproxima os visitantes da cultura e da fé dos nativos. O Inti Raymi de Cusco, por exemplo, mobiliza toda a comunidade a preservar a reverência ao sol e à Terra, que os incas diziam serem a força por trás da vida humana. Quem embarca o trekking de 7 dias por Salkantay, seja caminhando ou cavalgando, tem a opção de participar de uma oferenda à Pachamama, entidade que simboliza a natureza do cosmos. “É o momento de agradecer por todas as coisas que recebemos da Pachamama”, diz Leonardo Silva, gerente de roteiros do Mountain Lodges of Peru, no novo vídeo Thanks and Praises, da série Stories From Within, que apresenta bastidores das rotas da companhia peruana.

- Ações sociais, reflorestamento e limpeza de trilhas

Restrito a no máximo 16 viajantes, os grupos do Mountain Lodges são o jeito mais confortável de chegar a Machu Picchu por algumas das mais belas trilhas incas. As rotas são percorridas de lodge a lodge, com os pernoites acontecendo em refinadas hospedarias de montanha. Os lodges estão instalados em comunidades isoladas que são diretamente beneficiadas pelas ações da Yanapana, organização não-governamental sem fins lucrativos criada pelo Mountain Lodges. Entre as ações de combate à pobreza na região, a entidade promoveu recentemente mutirões de reflorestamento com espécies nativas em Soraypampa, limpeza das trilhas no entorno do Rio Blanco e aulas de tecelagem tradicional para as moradoras de Viacha.

- Quando a comunidade vira sócia do hotel

Quem viaja com o Mountain Lodges colabora automaticamente com essas comunidades. Um das contribuições mais evidentes pode ser percebida durante a hospedagem no lodge de Huacahuasi, no vilarejo de mesmo nome no Vale de Lares. O modelo de negócio é inovador: a população cedeu o terreno para a construção, o Mountain Lodges ergueu o prédio seis anos atrás e até hoje administra a operação. Todos os funcionários, sempre vestidos tipicamente, moram na vila. E 20% do lucro vai para a população, interessada na promoção desse turismo não massivo, de mínimo impacto. Os hóspedes podem, por exemplo, visitar as casas dos funcionários.

- Reconhecimento por parte da comunidade

O reconhecimento da atitude positiva do Mountain Lodges por parte dos povos andinos da região foi celebrado no mês passado, na pequena cidade de Mollepata. Durante outro festival folclórico apoiado pela empresa, a Fiesta de la Santissima Cruz, festa mais importante do ano no local, a Yanapana foi convidada a ser a patrona da festividade – algo considerado uma verdadeira honra em Mollepata. Da mesma forma que tem promovido as viagens sustentáveis e tradições como a Festa do Sol do Inti Raymi e o ritual de gratidão a Pachamama, o Mountain Lodges participou ativamente. E segue convidando os seus viajantes a também tomarem parte dessas experiências.

Visite:www.revistaecotour.tur.br

Fonte: Daniel Nunes

  
  

Publicado por em